30/01/2018

Felicidade e Sonho


Nosso tempo de vida é muito efêmero, como a neblina pela manhã. Por isso, ninguém deve carregar consigo a ideia fixa de que não é feliz. Tal sensação é uma agressão à natureza humana. Todavia, ninguém pense que a felicidade seja sinônimo de uma vida sem problemas. Isso é devaneio, ingenuidade! Afinal, nossa existência não é um conto de fadas.


Nesta vida, ninguém tem imunidade contra a dor e os dissabores. Só os ingênuos imaginam-se num eterno Éden. Não somos anjos! Depois da Queda, o Paraíso ficou vulnerável ao sofrimento. No entanto, uma coisa é chorar; outra é viver chorando. A tristeza pode ser um momento da nossa existência, mas não deve estender-se por toda a vida. Há ocasiões em que o sofrimento é inevitável, mas ainda assim não podemos aceitá-lo como companheiro eterno.


O tempo todo convivemos com o lúdico e o trágico. Nosso sono deslumbra sonhos e amarga pesadelos. No corpo, convivem a saúde e a doença, o vigor e a fadiga. O coração ama e aborrece, como a alma se alegra e se entristece. O lar pode ser um pedaço do paraíso ou do inferno. A vida reclama a arte do equilíbrio. Tal experiência é adquirida por meio da serenidade, da moderação, do despojamento do eu e da simplicidade.


Afinal, o que é felicidade? Felicidade é um estado de espírito. É paz interior. É a alegria de viver. É uma experiência que não se descreve; apenas se sente e sabe-se que é verdadeira pelo bem-estar da alma. É como um sonho! Um sonho factível.


A felicidade é também um desafio que se renova a cada instante. É a nostalgia que alegra o sonho persistente, entre os altos e baixos inevitáveis da vida. Logo, a felicidade não é apenas sensação, mas sabedoria somada à reflexão e à sensibilidade. É sonhar com os pés no chão, pois a vida é como uma longa estrada a ser percorrida e conquistada. A felicidade é a nossa conquista maior; um lugar que nos espera; um ponto de chegada.

A felicidade é possível porque é um sonho que não acaba se repete!  Ela vai além do sonho para converter-se em um projeto de Deus, que deseja ver o homem feliz. Sim, Ele quer ver-nos felizes, plenamente felizes. Por isso, o Senhor não nos prometeu apenas momentos de alegria, mas uma eternidade de regozijo. Aí, o que sonhávamos será convertido em realidade.