05/07/2017

Marcada pelo Toque Divino

É hora de agir!

O que está faltando?

Porque não estou agindo?

Aquela mulher parada diante do poço com seu cântaro na mão pensava como poderia ser diferente a sua vida. Como chegou aquele ponto? Uma hora daquelas, tão quente e ela ali em busca d’água para tomar seu banho após mais uma noite se envolvendo com homens que a procurava para matar seus desejos em seus braços perfumados. Mas, depois a deixavam com a sua solidão da madrugada se sentindo mais uma vez usada e desprezada. Com as lagrimas rolando era vencida pelo cansaço, dormia na tentativa de que estivesse vivendo um pesadelo e quem sabe ao acordar na hora do almoço a situação tivesse transformada. Porém, que nada! Estava ela ali no poço em busca da água. Que infelizmente não lavaria sua dor, sua tristeza, sua vergonha e solidão.

Seus pensamentos são cortados por uma voz masculina que lhe pede água. Mas uma voz masculina que lhe pede algo, porém essa voz parece-lhe diferente, doce e transmite uma paz!

Virando-se deparasse com um judeu, Como ele sendo judeu lhe tem coragem de pedir água a ela, mulher samaritana! Naquele momento começa a se impressionar com as palavras que saem dos lábios do homem como fosse um rio a correr. Ele me confronta! Revela o meu vazio. Faz-me perceber a minha dura realidade, mas gera esperança ao me fala de uma água diferente:

_” Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna.” João 4:14

Peço – lhe aquela água! Como desejava não ter que se expor e ficar constrangida ao andar pelas ruas da vila com os olhos das pessoas fitando-a com desejos e ás vezes repulsa.

Porém, aquele homem na verdade era o messias esperado, era o caminho que me conduziria a uma adoração perfeita. Sim, sem religiosidade preconceituosa e sem hipocrisia. Era manifestação da graça divina. Olhou para mim, um trapo humano, e me aceitou. Restaurou a minha dignidade. Era agora chamada filha de Deus!

Sai daquele poço deixando o meu cântaro lá, já não seria a mesma mulher. Aquele cântaro representava a minha vida cheia de pecados, teria agora uma missão especial. Corri na direção da vila com uma mensagem maravilhosa! Àqueles homens precisavam saber do meu encontro com Deus e que agora era uma nova mulher. Totalmente marcada pelo toque divino.

A mulher samaritana agiu! Porque estava livre!

Precisamos estar libertas de alguns obstáculos que impedem o agir e o mover de Deus em nossas vidas!

Quebrar correntes!

Se queremos agir e sermos usadas no reino de Deus precisamos:

ROMPER A SUPERFICIALIDADE E TERMOS UM VERDADEIRO ENCONTRO COM DEUS

Eu o sou, eu que falo contigo.” João 4:26

Precisamos ter as marcas desse encontro divino.

v       Sermos desnudadas

v       Sermos quebrantadas

v       Sermos curadas

v       Sermos restauradas

ROMPER COM A RELIGIOSIDADE E SERMOS VERDDADEIRAS ADORADORAS

“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.”João4:23

Deus não está em busca de religiosos, de ditadores de regras, de cerimônias e liturgias.  Ele busca os que o adorem em todo tempo, os que sejam livres para entrar nos Santos dos Santos.

Que o toquem e que permitam que Ele os toque.

Os discípulos e a mulher samaritana estavam cheios de religiosidade. E ao vivermos uma religiosidade fria, metódica, medíocre, caímos no perigo de não vivenciarmos a graça de Deus.

Com a religiosidade seremos pessoas frias e insensíveis. Cheias de pré-conceitos incabíveis aos seguidores de Cristo. A religiosidade acorrenta a ação cristã no mundo. Fomos chamadas para cumprirmos uma carreira.

A verdadeira adoradora vai além das aparências. Vê a alma do aflito.

ROMPER COM O COMODISMO

Precisamos sair da zona do conforto que esse mundo tem proporcionado e que deixa os cristãos descomprometidos com o IDE de Jesus.

A mulher ao deixar ser tocada por Jesus e ter um encontro com Ele é marcada pela graça de Deus. É perdoada, curada de alma. Passa a ser uma adoradora. Ela deixa seu cântaro que simboliza tudo que a impedia de agir. Ela entende que tem uma missão e vai!

Em contra partida os discípulos surpresos por estar Jesus falando com uma mulher, vestido de preconceitos e amarrados a aparência e não ao milagre de transformação que o Senhor estava realizando. Perguntam ao mestre se Ele quer comer. O olhar deles estava na direção errada.

“E, entretanto os seus discípulos lhe rogaram, dizendo: Rabi, come.” João 4:31

Jesus então os convida a olharem na direção certa. Sair do comodismo, do mesmíssimo e do fácil.

“Levantai os vossos olhos, e vede as terras, que já estão brancas para a ceifa.” João 4:35

A mulher entende perfeitamente a mensagem de Jesus. Ela sai de seu cotidiano, sai da sua dor para a alegria de servir. Sai do choro para o louvor. Sai da morte para a vida.

Ela agiu! E com a sua ação impactou a vida de muitos dos que ouviram e creram.

“E muitos dos samaritanos daquela cidade creram nele, pela palavra da mulher, que testificou: Disse-me tudo quanto tenho feito.” João 4:39

 

A noite chega e meu corpo esta cansado, também, corri por toda acidade a tarde toda! Entretanto minha alma esta leve. Uma alegria enche todo o meu ser. Parece até que transborda em mim uma fonte de água. Vou fechar a porta e apagar a vela. Essa noite será a primeira de muitas que não receberei nenhuma visita na escuridão. Minha casa tem agora um brilho especial. A luz da vida está aqui. Veja os olhos e como um filme vê sua imagem livre correndo nas ruas da vila gritando: Venham, venham, venham ver o homem que mudou a minha história!

Agora pode agir. Pode ir. Agora ela é livre!